Textos inacabados #2

(na verdade não é um texto inacabado, e sim escrito para a Rolling Stone, e que nunca foi publicado, o que dá praticamente na mesma, néam?:)

 

Interesses do mundo indie
Tratore proíbe MP3 de seus artistas na Trama Virtual 

O site Trama Virtual disponibiliza gratuitamente o download de MP3 para os internautas e consegue remunerar os artistas por cada música baixada por conta de seus anunciantes. O projeto é sucesso na rede e agrada a quase todo mundo. A Tratore, principal distribuidora de discos do mercado independente, responsável por fazer chegar o CD dos artistas com que tem contrato à 22 estados do país, não quer mais que seus contratados participem do projeto. Sócio da Tratore, Maurício Bussab alega que o site tornou-se um forte concorrente para justificar a decisão. “O artista pode fazer o que quiser com o fonograma no seu próprio site”, diz Bussab, esclarecendo que as bandas podem deixar o disco para download gratuito, mas sem passar pelo esquema da Trama Virtual e, portanto, sem receber por isso. “Até três músicas as bandas podem deixar lá como ferramenta de divulgação, mas o disco todo não da”, explica. A ação da distribuidora está casada com seu objetivo de aumentar de 2% para 5% o faturamento com venda de música digital (o catálogo já está disponível nos maiores portais da internet brasileira).

 Uma das bandas afetadas pela medida da Tratore foi o Ecos Falsos, de São Paulo. O vocalista e guitarrista Gustavo Martins tentou argumentar para não perder a renda obtida pelo download remunerado da Trama Virtual. “Ganhamos uns mil reais através do programa”, diz Martins, que acabou cedendo às novas regras.

O presidente da Trama, João Marcelo Bôscoli, acredita num formato com modelos de comercialização pagos e gratuitos coexistindo e vê com otimismo a ação da Tratore. “Isso é uma prova de que o modelo da Trama Virtual está funcionando”. Quem faz coro é o editor chefe do site, Dagoberto Donato, que minimiza o atrito contando que a ação da distribuidora tem pouco impacto sobre as quase 120 mil faixas do site.

Trama
Passado o susto com a Tratore, a gravadora planeja um calendário movimentado para este ano, depois de um 2007 em que serviços foram terceirizados, houve redução no quadro de funcionários e artistas (saíram Nação Zumbi, Tom Zé, Cansei de Ser Sexy), e apenas dois CDs foram lançados.

Bôscoli revela a intenção de lançar entre 8 e 10 discos em 2008 – os de Móveis Coloniais de Acaju (DF) e da cantora Karine Alexandrino (CE) estariam entre eles. Depois da renovação para a terceira temporada do programa Trama Virtual (Multishow), uma nova empreitada televisiva da gravadora deve acontecer na Cultura a partir de maio, com um quadro no ainda embrionário atração batizada de TV Música.

E não pára por aí: em sua passagem por São Paulo na penúltima semana de fevereiro com a banda goiana MQN, o frontman Fabrício Nobre, também responsável pela Monstro Discos, pode ter acertado com Bôscoli um festival de bandas independentes em São Paulo para o meio do ano. Quem sabe no segundo semestre, até um MP3 Player seja lançado pela Trama, com entrada para instrumentos musicais.

 

Caminho das pedras: Rolling StoneTratore, Trama Virtual, Ecos Falsos, Nação Zumbi, Tom Zé, CSS, Móveis Coloniais de Acaju, Karine Alexandrino, TV Cultura, MQN, Monstro Discos, SP Noise Festival, Multishow

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s