Jornal de domingo: Hitchcok e o rebanho de atrizes loiras

O diretor já tinha 26 anos quando fez o longa The Pleasure Garden, em 1925, no qual uma figurante tinha de entrar no mar. Quando ela lhe disse que não poderia fazer a cena de praia porque ‘estava num daqueles dias’, Alma [Reville], que desempenhava a função de assistente, teve de puxar o futuro marido num canto e lhe explicar que as mulheres ficavam menstruadas. Hitchcock já sabia tudo sobre técnica cinematográfica e nada sobre anatomia feminina.

O jornalista Luiz Carlos Merten no Oesp de domingo, resenhando o livro Fascinado pela Beleza, de Donald Spoto, sobre a relação que o cultuado diretor Alfred Hitchcock mantinha com suas atrizes-fetiche loiras, a que ele tratava como ‘rebanho’.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s