Momento ‘poeminha hardcore’

Edital de demissão e ponto

Meu caro poeta:

meta

a lira no c.

(mesmo que doa)

e vê se te aquieta.

O mundo mudou tanto que

amanhã

a lua será lixeira à toa,

privada e refúgio da terra

emudecida,

seu Orfeu.

Erra,

quem pensa que as palavras valem

hoje em dia

-pois a palavra é poesia

e a poesia morreu.

De Rosário Fusco, no livro Creme de Pérolas. Via Folha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s