‘Na Estrada’ pra Cannes

(1)
( . . . ) os filmes de estrada são aqueles em que a improvisação se faz necessária a todo momento. Se neva, muda-se o roteiro para incorporar a neve. Se fazemos um encontro como o do jovem guia que nos mostra Cuzco e nos fala dos Incas e dos incapazes (os espanhóis), em Diarios de Motocicleta, procuramos incorporá-lo na narrativa. O filme de estrada é o ponto de encontro entre o cinema documental, de onde venho, e a ficção.

(2)
( . . . ) como ‘Diários de Motocicleta’ nos ensinou, [vamos à Cannes] sabendo que o fato de um filme ser bem recebido não significa que ele vá ser premiado. A seleção já é, em si, o prêmio.

Walter Salles, diretor brasileiro do filme Na Estrada (adaptado do livro On The Road, do Jack Kerouac) em dois momentos: 1) em entrevista ao Estadão e 2) a’O Globo (infelizmente este sem link). Esta semana, a produção foi indicada para a seleção oficial do prestigiado festival de Cannes.

Atenção para a chamada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s