‘Olha o tamanho do desespero, a fragilidade, como estou longe de ser um deus’

‘Quando termino uma poesia, já quero falar, porque não sei se vou estar vivo amanhã. Olha o tamanho do desespero, a fragilidade, como estou longe de ser um deus. Pelo contrário, sou aquele que carrega o andor, e o santo é pesado’ ( . . . )

‘Consigo celebrar, só que a proporção entre tristeza e alegria ainda está muito diferente’

Da suposta ascensão, que Criolo rechaça, veio o acesso a necessidades básicas, que ele relata agradecido, referindo-se, por exemplo, ao médico e ao dentista que lhe prestaram atendimento.

Matéria sobre o Criolo na Continuum, a revista do Itaú Cultural.

+Criolo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s