Caetano: da bossa nova à porradaria

A pancadaria dá o tom desde a primeira faixa, ‘A Bossa Nova é Foda’, que começa comparando João Gilberto, ‘o bruxo de Juazeiro’, a Machado de Assis, ‘o bruxo do Cosme Velho’, e termina exaltando Vitor Belfort, Anderson Silva e outros ‘minotauros’ que não caberiam no Rio mítico de Tom Jobim, Vinicius de Moraes e Carlos Lyra, também citados na letra.

(…) Em pouco mais de 30 versos, ele refunda o país a partir de João Gilberto (…), cita Bob Dylan e faz ponte entre a bossa nova e os lutadores de MMA, expoentes globais de um país que cresce aos trancos. 

Ambos trechos da Folha de hoje;

Caetano Veloso, ‘Abraçaço’

Anúncios

Uma consideração sobre “Caetano: da bossa nova à porradaria”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s